tijolinho amarelo

sonhei com o ato

de fazer poesia

e uma baleia negra com crina

gigante na praia do leme

inofensiva

vi com a vovó

acordei e fui pedalar

na volta parei

pra esperar

a baleia na beira da praia

e fiquei a ver

a calma da beira

na pedra do leme

parado

pra ver quem iria sentar

ao meu lado

eu fiquei

a ouvir

quais as ondas

quebrariam na beira de

mim

quais as ondas

chegariam pra perto

voltariam pra longe

por fim

Advertisements

obra

estou construindo minha casa
meus pés minhas mãos
estão molhadas de barro
suo
mesmo não estando
tão quente
estou construindo minha casa
o suor derrete
terra
pele da minha pele
o terreno está em obras
pedra madeira e pó
gasto meus olhos
na luz
as ferramentas
são meus dedos
estou construindo minha casa
minha casa
meus pés minhas mãos meus olhos
minha asa